← Back to portfolio

Dinheiro traz Felicidade?

O dinheiro oferece muitas coisas, entre elas, uma vida confortável, oportunidades, segurança e experiências. E não há nada de errado em gostar de dinheiro ou comprar, ou aproveitar como coisas boas da vida.

Mas então, se ganhamos mais, por que não estamos felizes?

Porque dinheiro não compra felicidade! Ele permite uma sensação de felicidade quando você compreende ou experimenta algo novo, mas dura apenas até euforia passar. O ser humano não consegue permanecer satisfeito por um longo tempo.

Tendemos a querer sempre mais e mais. Queremos mais sapatos, mais carros, mais roupas, mais dinheiro.

A importância do dinheiro nos nossos planos

O dinheiro é importante, afinal existem contas vencidas, objetivos que levam a economizar, crianças para cuidar e educar, casa para manter e tudo o que custa dinheiro.

Então, é claro que você pode se preocupar em tomar as melhores decisões com relação às finanças. Mas quem faz todo o mundo consulta, é capaz de aproveitar as melhores coisas da vida e fazer o que gosta, sem ficar sobrecarregado ou estressado com dinheiro ou com uma falta dele.

Se você realmente quiser usar o dinheiro para criar uma vida melhor, poderá descobrir ou realmente consultar a vida e definir metas financeiras que levem até lá.

Lidando com o dinheiro

Você conhece alguém que está sob forte estresse, costuma tentar fazer compras e definir limites de cartões de crédito? Você é essa pessoa?

É comum encontrar profissionais que vivem no trabalho, e como recompensa por tanto esforço e dedicação, terminando a compreensão de uma nova bolsa, um novo par de sapatos ou um novo 'item' para uma coleção.

O problema é que depois de algum tempo, essas coisas perdem a essência do “ novo ”, e a sensação de vazio volta novamente, além das dívidas com o cartão de crédito.

Definindo definições

Chegou a hora de você criar uma lista, descrevendo em ordem de prioridade quais são os seus objetivos de vida, o que você quer. Esse exercício vai ajudar a determinar o que é mais importante, para você trabalhar primeiro.

Pegue papel, caneta e separe suas metas de vida em 3 categorias:

  • Prioridade: Alta
  • Prioridade: Média
  • Prioridade: Baixa

Isso vai ajudar você a ter uma ideia do que é mais importante em vários aspectos da sua vida. Não é interessante a ideia de alguém estar sempre trabalhando e jogar no futuro a responsabilidade de finalmente conseguir relaxar e ser feliz.

Encontrando e mantendo o Equilíbrio

Encontrar o equilíbrio nem sempre é fácil, porque a maioria das pessoas não possui quantias milionárias na conta bancária, disponíveis a qualquer hora e em qualquer lugar.

Então, como você pode usar o dinheiro para criar uma vida de acordo com a sua ideia de felicidade? Dar o primeiro passo é preciso:

  • Seja claro sobre o que é importante para você e o que não é;
  • Criar um planejamento financeiro para controlar o seu dinheiro;
  • Comece a direcionar o dinheiro para os objetivos que você definiu;
  • A cada 6 meses reavalie as suas prioridades e redirecione o seu dinheiro conforme os seus objetivos evoluem.

A vida é feita de tentativas, erros, acertos e adaptações. Nesse caso, você pode criar um plano financeiro que permita aproveitar o hoje, enquanto continua construindo o seu futuro.

É preciso encontrar o equilíbrio entre aproveitar o momento e planejar o futuro. Então, quando você tomar decisões com o objetivo de priorizar não só o dinheiro, mas também a sua felicidade, o mais provável é que você consiga ter uma vida mais feliz e com significado.

Agir é o que vai fazer a mudança acontecer

Você pode fazer todo o planejamento do mundo, mas até começar a agir, nada disso terá significado, e a verdade é que esse geralmente é o passo mais assustador. Agir aumenta a possibilidade de cometer erros, e é o medo desses erros que impede as pessoas de agirem.

Mais uma vez: a felicidade não depende do dinheiro. A sua felicidade não vai aumentar com o seu salário. Não importa a sua renda, o dinheiro pode ser usado para dar a você um estilo de vida mais saudável e mais fácil, dependendo do que é melhor para você.

É claro que você precisa economizar e ser financeiramente inteligente para cuidar do futuro, mas a vida deve ser aproveitada agora, no presente.

Não se sinta culpado por investir parte do seu dinheiro em uma viagem, em uma aula de culinária ou para aprender a tocar um instrumento musical. Esse é o tipo de “gasto” que vai ajudar a despertar em você o sentimento de alegria e gratidão pela vida.

A organização do orçamento é algo essencial para ter uma vida melhor, mas o equilíbrio emocional e o bem-estar também são indispensáveis.

Se tudo o que estamos fazendo é trabalhar e não viver, que tipo de vida estamos vivendo?




Close